23 November 2016

Qual a importância da faculdade para um programador?

Nesse vídeo você vai saber se a faculdade é ou não é importante para a carreira de um programador.

Eu me formei em uma faculdade que se chamava Tecnologia em Processamento de Dados, esse curso nem existe hoje, porque agora tem o nome de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

É um curso que o pessoal chama de tecnólogo, então não é um bacharel de quatro anos, mas é um curso voltado para formar realmente mão-de-obra para o mercado. Então é um curso com menor duração do que o bacharel.

O curso tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, já é oferecido por várias faculdades, é uma excelente opção para quem quer logo entrar no mercado de trabalho. É um curso bem tranquilo, e apesar de ser tecnólogo e não ser bacharel, também é um curso superior.

Faculdade Programador

Considerando que eu entrei na faculdade em 2001 e era outro mundo, as pessoas não eram tão conectadas igual é hoje, então videoaula nem se fala… não tinha Youtube naquela época, então era muito mais difícil ter acesso a informação. Então realmente para você se tornar um analista de sistemas ou um programador, a porta de entrada era a faculdade e não tenha dúvidas quanto a isto.

Era a faculdade ou então um curso técnico, naquela época já tinha alguns cursos técnicos que ensinavam programação também. Tinha a opção de livros é claro, mas tinha muito menos opções do que hoje, não tinha uma Amazon, por exemplo, em que você entrava lá, acessava o site e comprava.

Era tudo mais difícil, principalmente no Brasil. Então entendendo agora esse contexto de 2001, para mim foi fundamental a faculdade, eu realmente aprendi a programar na faculdade, eu não tinha noção nenhuma de lógica ou de Banco de Dados… essa parte toda eu aprendi na faculdade.

Agora saindo um pouco dessa parte dos fundamentos da computação que eu aprendi lá, tem toda a parte que todo mundo torce muito o nariz que é a parte de matemática.

No meu caso que eu fiz Tecnologia em Processamento de Dados, nem tanto, a gente teve matemática mas foi muito pouco se compararmos com o curso de Ciências da Computação que é muito mais pesado essa parte de matemática.

Mas a gente teve sim algumas disciplinas de matemática e de coisas em que eu, trabalhando nesses 14 anos, eu não usei depois.

Um ponto muito importante da faculdade, eu diria até o mais importante, são os amigos mesmo, mas por quê? Eu consigo detectar três tipos de alunos, eu já dei aula em faculdades, em colégio também e eu também percebi isso se repetindo em várias turmas, então toda faculdade de tecnologia, tem estes três tipos de alunos:

O aluno que já sabe programar, já está no mercado e ele está ali na faculdade só para pegar o diploma.

O segundo tipo de aluno, é aquele que não sabe nada de programação, mas realmente ele entrou na faculdade interessado em aprender. Esse cara aprende bastante com o cara que entrou na faculdade só pra pegar o diploma e já está no mercado.

Eu por exemplo, que entrei na faculdade sem saber nada, tive muita ajuda de amigos que já estavam no mercado. Vou te dar um exemplo aqui: como eu te falei, eu aprendi lógica usando uma linguagem chamada Pascal, que não é usada no mercado.

E eu trabalhava na época em uma empresa de tecnologia, só que eu trabalhava na parte de infraestrutura, que se refere a parte de manutenção de computadores, e esse tipo de coisa. Eu sabia que lá tinha um departamento de desenvolvimento de software.

Eu perguntei para eles, e me disseram que utilizavam uma tecnologia chamada ASP. Sabendo disso, eu pedi dicas para um amigo da faculdade, que eu sabia que também trabalhava com essa tecnologia, e ele me ajudou demais a aprender na época o ASP.

E foi através desse amigo, das dicas dele, que eu consegui na época migrar do departamento de manutenção de computadores para o departamento de desenvolvimento de software, na época como um estagiário.

O terceiro tipo de aluno é aquele que só entrou na faculdade porque alguém disse para ele que programador ganha bem, que o salário é legal, ou algum parente que já está na área falou pra ele seguir aquele caminho ali.

Essa galera pelo que eu vi, grande parte deles desistiu do curso ou formam sem saber programar, acabaram conseguindo participar de trabalhos em grupo e foram ali nas costas dos outros alunos, por assim dizer, e conseguiram sim formar na faculdade, porém não conseguiram se manter no mercado.

Porque essas pessoas não estavam ali pelo motivo ideal, que é realmente querer aprender a programação, a profissão e esse tipo de coisa.

Eu falo sempre para os meus alunos que sim, dá pra ganhar uma grana legal como programador, mas esse não pode ser o seu motivo principal pra entrar na área, porque você precisa realmente gostar e se divertir com aquilo ali.

Então para concluir este vídeo, a minha resposta é sim, a faculdade pode ser muito importante para a carreira de um programador, porém, principalmente hoje em dia, a faculdade não é mais de jeito nenhum a única porta de entrada para se aprender a profissão e para se tornar um programador.

Quando as pessoas me pedem opinião sobre qual faculdade elas devem entrar ou não, eu costumo indicar que ela compre um livro ou faça um curso online, para que ela primeiro entenda o básico, e saiba se ela realmente gosta daquilo. Aí se essa pessoa gostar, ela pode se aprofundar ou entrar numa faculdade, ou até não.

Outra boa opção é você entrar numa faculdade que não tem relação direta com programação, porém que pode ser muito útil. Exemplo: a faculdade de Design. Se você sabe programar e entra numa faculdade de design, você será um programador muito melhor. Outro exemplo é na área de estatística por exemplo, se você é um programador e sabe muito bem de estatística, você vai estar muito além do mercado.

É isso aí, essa é a minha opinião a respeito da importância da faculdade na carreira de um programador.

Grande abraço, até mais.

Bora programar!?

Escrever muito código é definitivamente a única maneira de você se tornar um programador profissional. Pare de se enganar ao achar que apenas assistir vídeos ou ler tutoriais vai levá-lo a algum lugar.